sábado, 30 de maio de 2015

Surf no Mediterrâneo - Itália

Água quente, ondas pequenas, boas para longboard e/ou iniciantes. Excelente comida, bons vinhos, boa grapa. Belas mulheres, belas paisagens. Inspirador.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

SCR em Portugal - Introdução

Nosso colaborador e criador do SCR (Surf, Cerveja e Rock & Roll) Oph DeWaal chegou hoje à Lisboa. Não é uma viagem de férias, é um movimento migratório, uma tentativa de surfar melhor, beber e comer melhor sem pagar os olhos da cara pra isso (a gentrificação da cerveja no Rio de Janeiro atinge níveis cada vez mais extravagantes), e estar mais perto de boa música - e longe de axé, funk, pagode - e de bons shows. Desejamos toda a boa sorte a Oph DeWaal.

Haverá uma série de postagens sobre os temas SCR com as primeiras impressões na terra de Cabral. Com o passar do tempo e mais adaptado à nova vida no velho continente,  as postagens irão mais a fundo e terão mais detalhes. Aguardem =)

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Eddie Aikau 2014/15

Hoje a Quiksilver lançou o vídeo promocional do evento Quiksilver In Memory of Eddie Aikau. É sempre bacana de ver, mas desta vez eles colocaram a voz do narrador com Slayer de fundo. Ficou ph*d@.

quarta-feira, 5 de março de 2014

É carnaval

Quarta-feira de cinzas. Fim de carnaval e agora estamos mais próximos do fim de um verão que teve alguns dias de boas ondas, alguns poucos de excelentes ondas e outros tantos de flat e calor infernal.

Durante o carnaval, até que o calor deu uma amenizada, mas a quantidade de música ruim que temos que ouvir todo ano continua. Por isso achei muito bacana o surgimento do Filhos of the Dark, o primeiro bloco metal do país.

Outro achado foi a versão metal do Lepo Lepo:

Enfim, agora o ano começa de verdade e torcemos para que haja surf, cerveja e rock & roll em abundância para todos.

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

2014

Férias! E no maracanã do surf! E tem onda! Pequenas, meio metro, mas estão abrindo, não há muito crowd e a água está quente. #VamosQueVamos.

A internet por aqui é bem fraca, por isso (e por causa das férias), estaremos offline durante um tempo, mas we will be back. Bom 2014 a todos. =)

domingo, 9 de junho de 2013

Post mortem

Devido a numerosos fatores, não temos conseguido atualizar este blog - por enquanto, a partir de julho isso deve mudar. Mas, enfim, vim expressar minha imensa surpresa ao saber da morte de Jeff Hanneman, guitarrista do Slayer, por problemas com o figueiredo (cirrose). O óbito ocorreu a 2 de maio, às 11h, horário do pacífico.
Surpresa mesmo tive quando ouvi Slayer pela primeira vez no programa de metal (nem lembro do nome...) da Maldita FM; acho que o álbum Show No Mercy tinha acabado de ser lançado, e a DJ colocou uma sequência matadora de Metallica (com o single do Ride the Lightening, tocando a faixa-título e Fight fire with fire), complementando com as faixas do Slayer, Black Magic e Show No Mercy. Dali pra frente, nada foi o mesmo, era muita violência sonora pra ficar passivo, e que me levou, anos mais tarde, a querer ter uma banda também (essa é outra história). D.E.P.

terça-feira, 2 de abril de 2013

Por quem os sinos quebram

Adriano 'Mineirinho' conseguiu a proeza de ser o primeiro brasileiro a ganhar a etapa de Bell's - isso entre los hombres, pois Silvana Lima já tinha realizado o feito em 2009.

O campeonato acontece há 52 anos, e poucos brasileiros conseguiram resultados expressivos por lá. Este ano foi bem diferente: os únicos que não avançaram da primeira fase (não eliminatória) para a terceira perderam para outros brasileiros; Medina perdeu para Raoni e o Mineiro perdeu para Alejo - ambos conseguiram superar a segunda fase, onde os destaques foram o português Tiago Pires e Jordy Smith, apontado por alguns como possível vencedor. Na terceira fase, as únicas baixas foram a de Alejo, que perdeu para Jordy, e a de Medina, que ainda não se recuperou completamente do problema no tornozelo (perdeu para o novato Filipe Toledo). Os destaques, comentados mundo afora, foram as vitórias de Raoni - sobre o atual campeão mundial, Parko -, e do William Cardoso - sobre o Slater. A fase seguinte, também não eliminatória, viu Cardoso e Mineiro avançarem direto às quartas-de-final; Raoni e Filipe tiveram que disputar a quinta fase, em que Filipe deu show.

A presença de três brasileiros nas quartas-de-final foi algo sem precedentes, vários gringos estavam chamando o pico de Bells de Janeiro. Infelizmente, só Mineiro passou, e por cima do bi-campeão Mick Fanning. Ainda assim, Occy e outros comentaristas estrangeiros apostavam mais no Taj e no Jordy. Taj perdeu a primeira semi-final para o outro novato, Nat Young, último goofy remanescente no campeonato. Na sequência, em uma emocionante disputa, Mineirinho superou Jordy por apenas 0,04 ponto. A final foi sinistra: chuva, vento errado, e o mar parecia estar subindo. Adriano conseguiu manter-se à frente todo o tempo, mas sabia que não podia dar mole, e não deu. Faltando uns dois ou três minutos pra acabar a bateria, uma onda gigante surgiu do nada e varreu os dois competidores pro inside, tirando-os de posição. Nat Young remou como um louco pra uma última onda, mas não conseguiu entrar. Depois disso, só festa: Adriano, de tão empolgado, chacoalhou tanto o troféu, que o sino se soltou da moldura do troféu.

Entre os brasileiros, todos foram de bem a muito bem, mas destaco o William Cardoso: o cara perdeu os pais nos últimos 18 meses, só pôde competir porque há três ranqueados machucados (JJF, Fred P. e Miguel Pupo), mas aproveitou a chance e poderá vir a integrar a elite oficialmente após o término da temporada - ele está, atualmente em 16º pelo WT e em 12º pelo World Ranking. Maiores informaçãos, vá ao site da ASP, acho esse sistema meio confuso =P

A próxima etapa será a do Rio, de 8 a 19 de maio, e, assim como em Bell's, faz parte também do circuito feminino.

domingo, 31 de março de 2013

Feliz Páscoa - versão metal

Ficou engraçado, apesar de que poderiam ter trocado a letra por aquela famosa versão:
Coelhinho da Páscoa, que trazes pra mim?
Uma pinga, um chopp, uma garrafa de gim
Coelhinho da Páscoa, que trazes pra mim?
Tudo de bom que havia no botequim

terça-feira, 12 de março de 2013

Cerveja do Iron Maiden

Depois de terminado o mestrado, volto ao blog com essa pequena pérola.
The Trooper - a cerveja do Iron Maiden. Só falatava o Bruce Dickson pegar onda...
lhttp://www.ironmaiden.com/trooper--a-new-premium-british-beer-from-iron-maiden-and-robinsons-brewery.html

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Terra Pesada

Terra Pesada é um documentário em construção sobre a cena heavy metal em Moçambique. Pra se ter uma ideia da dificuldade que a galera passa por lá, apenas 18% do povo tem acesso à eletricidade. Seria bem mais fácil levar um som acústico, também por conta da dificuldade de se conseguir instrumentros decentes, mas os headbangers locais não se deixam abater, apesar de sofrerem o mesmo tipo de preconceito que há por aqui (no mundo todo?).

O documentário é patrocinado por uma pequena fundação de Nova Iorque, mas ainda carece de clique aqui para contribuir com o documentário.


domingo, 13 de janeiro de 2013

Champagne

A Scarlett Johansson agora é garota-propaganda da Moët et Chandon. Um bom motivo pra trocar a cerveja por champagne. Mas há uma pergunta que não quer calar: será que ela gosta de cerveja também?  =)

sábado, 15 de dezembro de 2012

WT Pipeline 2012 – resumo final, Parko campeão mundial

Pipe Maters 2012
O campeonato mais esperado do ano. O ranking final e a (des)qualificação para o World Tour do ano seguinte. A decisão do título mundial.

O formato desta etapa é completamente diferente de todas: a primeira fase é disputada pelos últimos 12 ranqueados no WT, 8 classificados pelo Volcom PipeMasters (uma espécie de triagem), mais 4 convidados pela ASP e patrocinadores – um deles foi Dane Reynolds. Nesta fase Jadson André perdeu para Jamie O'Brien, Ricardo dos Santos venceu Dusty Paine com um belo show e Taylor Knox, mais de 20 anos no tour e ícone do esporte, foi aposentado após perder para Billy Kemper, campeão havaiano em 2010.

A 2ª fase se compôs dos vencedores da 1ª fase mais os ranqueados entre os 13º e 24º lugares. Alejo Muniz perdeu sua bateria para Shane Dorian e suas chances de ser o primeiro brasileiro campeão da Tríplice Coroa Havaiana. Ricardo dos Santos caiu em uma onda importante e perdeu para Bede Durbdige. Miguel Pupo, ao contrário do ano passado, estava bem fisicamente e passou com alguma facilidade por Adam Melling; com esse resultado, o título da coroa ficou com Sebatien Zietz (vide as outras postagens sobre os campeonatos no Hawaii). Heitor Alves caiu contra o defensor do título do Pipe Masters, Kieren Perrow (KP) e cometeu interferência em sua primeira onda, e acabou perdendo.

A 3ª fase poderia decidir o título. Sete dos top 12 perderam, incluindo o favorito, JJF. Adriano de Souza caiu contra Dane Reynolds, que conseguiu a primeira nota 10 e manteve sua invencibilidade contra o Mineirinho. Kolohe Andino, que surpreendeu ao passar pelas duas primeiras fases, teve sua nota mais alta nesta fase, surfou contra Gabriel Medina, que fez a melhor média até então. Miguel Pupo pegou talvez o melhor tubo de um goofy em backdoor e passou por Jeremy Flores, Pipe Master em 2010. Fanning perdeu para Shane Dorian, que também fez os comentários na transmissão, e despediu-se da etapa e não tem mais chances de ser campeão.

A 4ª fase manteve-se como nas outras etapas: não-eliminatória, três surfistas, um qualificado direto para as quartas de final, o restante teve que disputar a 5ª fase. Começou após quatro dias de espera por melhores condições, mas o mar estava bem esquisito, com ondulações de direções diferentes e mexido. O upgrade ficou por conta da presença de Tom Carroll e Gerry Lopez como comentaristas esporádicos. Quanto à competição, Medina e Pupo não conseguiram avançar, assim como o Slater. Josh Kerr, depois de sua bateria, foi ao hospital, ganhou alguns pontos, e voltou pro campeonato.

A 5ª fase os Hobgoods passaram por KP e Dane Reynolds, wild card da Vans e único a conseguir um 10. Medina perdeu por um ponto para o desesperado Yadin Nicol, mas mostrou a que veio, com uma atuação digna de elogios de gente de prestígio. Miguel Pupo teve que encarar o Slater, que o deixou em combinação com 10 minutos de bateria; MP saiu da combinação com um tubaço em Backdoor, mas não conseguiu a segunda nota.

Nas três primeiras baterias das quartas de final as ondas pioraram. Damien Hobgood venceu Zietz, enquanto seu irmão perdeu para Parko; Josh Kerr ganhou de Yadin Nicol, que precisava chegar à semi-final pra se manter no tour; Shane Dorian, wild card da Billabong, e Slater fizeram uma das melhores, senão a melhor bateria do campeonato: 18.74 a 18.20 pro Kelly.

As semifinais foram tensas: Parko e Dammo se revezaram algumas poucas vezes na liderança da bateria, mas, nos últimos 5 minutos, Joel só fez melhorar suas notas, eliminando o último goofy do campeonato; Slater e Kerr tiveram que encarar a que talvez tenha sido a pior meia hora do mar. Josh pegou uma pra Backdoor no primeiro minuto que lhe rendeu 9.20, e todas as outras ondas, inclusive as de Slater, fecharam, e o fizeram perder pela segunda vez, no mesmo dia, para o mesmo cara. Talvez Cheyne Horan tenha torcido para Parko não quebrar seu recorde de 4 vices, mas o fato é que, finalmente, e merecidamente, ele se tornou campeão mundial, e o fez em grande estilo, mesmo com um tanto de champanhe nas ideias, ao ganhar também o Pipe Masters na final contra Kerr, com boas ondas. Sua conquista só não foi maior por não ter sido diretamente contra Kelly na final, como o fez Andy Irons em 2003. Porém, como já disse Nick Carroll, ele é muito bom para não estar lá (na lista dos campeões mundiais).